sexta-feira, 6 de novembro de 2009

O Clã continua a crescer... A Margarida nasceu dia 4 de Novembro


A Cristina e o Bruno, os pais da Margarida

Chama-se Margarida Romano Mendes, nasceu com 3,5Kg, às 23:30h do dia 4 de Novembro, no Hospital de Cascais.

O parto correu de acordo com o esperado, sem problemas de maior e a mãe, Cristina Pinto Romano, filha da Maria Aurora Pinto Gonçalves, espera sair do hospital, com a criança, no próximo Sábado, dia 7.



A Margarida
Aos pais e a os avós endereçamos os nossos parabéns por esta alegria que é ver este clã aumentar o número dos seus membros.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Diana Prata - Um Membro do Clã em grande destaque


A Diana Prata é bisneta de Joaquim Pinto Assunção, neta de António Pinto Ascensão e filha da Maria do Carmo Brito Pinto.
A Diana é investigadora na área da genética, em Londres, no King's College. Foi lá que concluíu o seu Doutoramento e fez uma descoberta importantíssima para o tratamento da "esquizofrenia", uma doença do foro psiquiátrico.
De passagem por Portugal, foi convidada do programa da TSF - Mais Cedo ou Mais Tarde.

A entrevista pode ser ouvida aqui

A Diana publicou os seus resultados há um ano, numa revista do grupo Nature (a Molecular Psychiatry), sendo que nessa altura se especulava sobre as implicações da descoberta («pode abrir novas possibilidades ao estudo de futuras drogas para o tratamento da esquizofrenia»).

A cientista Diana Prata descobriu como funciona o gene da esquizofrenia, sendo que a primeira prova, o gene associado à esquizofrenia e à doença bipolar, o DISC1, está na origem de um maior esforço que as pessoas que sofrem desses distúrbios mentais têm de fazer quando falam. A Diana publicou os seus resultados há um ano, numa revista do grupo Nature (a Molecular Psychiatry), sendo que nessa altura se especulava sobre as implicações da descoberta («pode abrir novas possibilidades ao estudo de futuras drogas para o tratamento da esquizofrenia»).

Expresso de 4 de Outubro

Cientista portuguesa revela como funciona gene da esquizofrenia”, Micael Pereira

Diana Prata, de 29 anos, licenciada em Biologia pela Faculdade de Ciências de Lisboa e doutorada pelo King’s College, uma das principais universidades inglesas, onde estuda o mecanismo genético das doenças psiquiátricas.

A cientista descobriu como funciona o gene da esquizofrenia, sendo que a primeira prova, o gene associado à esquizofrenia e à doença bipolar, o DISC1, está na origem de um maior esforço que as pessoas que sofrem desses distúrbios mentais têm de fazer quando falam.

Esta descoberta pode abrir novas possibilidades ao estudo de futuras drogas para o tratamento da esquizofrenia, doença que afecta 1 por cento dos portugueses e que é conhecida por implicar perturbações cognitivas e de comportamento.

O resultado deste estudo foi publicado num dos principais jornais de psiquiatria do mundo, o Molecular Psychiatry, do grupo editorial Nature, merecendo chamada de primeira página.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

1º Encontro do "Clã dos Faztudos"


Realizou-se no passado dia 8 de Agosto no Restaurante "O Vicente" em Loriga, o 1º Encontro do "Clã dos Faztudos".
Estiveram presentes 56 pessoas, representando todos os filhos do Patriarca do Clã: Joaquim Pinto Assunção (Faztudo).
A única filha viva, a Aurora.
Do António estiveram as duas filhas mais velhas, a Isabel e a Amélia com os respectivos maridos e o filho da Amélia e ainda o Carlos com as duas filhas.
Do Carlos, esteve a filha mais velha, a Cristina, com a filha Teresa.
Da Laurinda, estiveram os filhos António, o Quim e o filho Sérgio, o Fernando com a esposa e os dois filhos, o Zeca, a Fernanda com o marido e o filho, a Margarida com o filho e o Paulo com a esposa e ainda o neto David, filho do falecido Carlos.
Do Fernando estiveram, a viúva Helena e os filhos António, a Isabel com o Marido, a Dulce como marido e a filha e os netos Cristina e Tiago filhos da Lurdes.
Do Álvaro estiveram, a viúva Laura e os filhos Quim, a Fátima e o marido, Maria Isabel e o marido e o António.
Da Maria Emília estiveram os filhos Maria Aurora com o marido, a filha e o genro, o Quim com a esposa e os dois filhos, o Ismael com a esposa e a Raquel com o marido e a filha.
Para além das fotos e vídeos que o Tó do tio Fernando disponibilizou, aqui ficam mais umas quantas disponibilizadas pelo Zeca da tia Laurinda e por mim.




domingo, 9 de agosto de 2009












































































































































































































video


Encontro dos Faztudos
Vídeos

video

sexta-feira, 17 de julho de 2009

1º Encontro do "Clã dos Faztudos"

Convidamos todos os "Faztudos" a participar neste, que esperamos seja, o primeiro de muitos encontros.
Realizar-se-á em Loriga, no próximo dia 8 de Agosto e contará com uma Missa, celebrada pelo Pe Jorge Amaro, primo de alguns de nós, por alma dos Faztudos falecidos, às 11h.
Depois, seguir-se-á um almoço convívio no Restaurante " O Vicente", às 13h.
A ementa será a seguinte:
Entradas: Pão, queijo, presunto e azeitonas
Sopa
Prato: Em alternativa - Lombo de porco com arroz e batata frita
- Grelhada mista com arroz de feijão
Bebidas: Vinho tinto ou branco e sumos ou águas
Sobremesa: Arroz doce com leite creme, pudim e Salada de frutas
Café
Prço por Pessoa: 12,50€ ( as crianças até aos 4 anos não pagam e dos 4 aos 12 anos pagam apenas metade).

 As inscrições podem ser efectuadas através do email: 
jpintogoncalves@gmail.com

Contamos com a vossa presença!

... Informação de última hora ...
A Missa que estava programada, não vai poder realizar-se, por ser impossível realizá-la nos moldes e horário que haviam sido previstos.
Assim, o Encontro constará, apenas, do Almoço Convívio previsto para as 13 horas.

Balanço das Inscrições

Decorrem a bom ritmo as inscrições para o nosso 1º Encontro.
Ultrapasámos já a meia centena, o correspondente a cerca de um terço do total dos "Faztudos".
Esperamos que mais alguns se juntem a nós, embora saibamos, de antemão, que outros náo poderão comparecer por se encontrarem fora do país, outros com coisas marcadas, que não podem adiar... mas... como se costuma dizer, estarão connosco em espírito, provavelmente com pena de não poder estar de corpo.
Assim, vamos aos números:
Da família do Tio António, contamos já com 10 inscrições.
Do Tio Carlos, com 3.
Da Tia Laurinda, 14.
Do Tio Fernando, 8.
Do Tio Álvaro, 8
Da minha, 14, incluindo a Tia Aurora.
O que perfaz um total de 57.

Primos

O Tó, filho do Fernando e o Quim, filho da Laurinda.

Biografia de Joaquim Pinto Ascensão - 2ª Parte

... Continuação

Regressado da Guerra começou a trabalhar na Indústria dominante em Loriga, os Lanifícios. Devido à competência revelada, cedo se tornou Mestre da Secção das Cardas, da Fábrica Leitão & Irmãos. Tanto mais que era uma das poucas pessoas que , naquela altura, lia e escrevia fluentemente, em Loriga.

A sua curiosidade levou-o a estudar, por iniciativa própria, História Universal. Da sua paixão pela leitura, resultou, consequentemente, uma cultura acima da média na Loriga desses tempos. Para alem do mais e, atendendo à sua religiosidade, dedicou-se, também ao estudo da Bíblia, que passou a conhecer com profundidade. Ao ponto de, em certas ocasiões quase substituir o padre. As palestras bíblicas do “ti Jaquim Faztudo” eram célebres. Falava com eloquência dos vários episódios bíblicos do Antigo Testamento. Os netos de quem era padrinho têm, inclusivamente, nomes bíblicos, como Ismael, Raquel... e Joaquim, que, afinal, era pai de Nossa Senhora.

Esta paixão pelo saber foi transmitida aos filhos e aos netos com quem conviveu mais de perto.

À noite, à volta da braseira, nas noites de inverno, a todos deliciava com a sua sapiência. Ainda hoje recordo como prendia as atenções de todos aos contar os episódios mais heróicos da História de Portugal, de uma forma apaixonada. Não era fácil resistir à sua capacidade de argumentação e astúcia quando se discutia algum assunto mais polémico. Sem nunca perder a calma e o bom senso, a sua força estava na capacidade de dialogo.

Ao longo dos anos grangeou o respeito de toda a comunidade loriguense, fruto da inteligência  e capacidade de se relacionar com os outros. Nunca se impunha, mas era escutado.

Foram seguramente estas qualidades que lhe permitiram rapidamente liderar a secção onde trabalhava. 

Mas... regressado da guerra, com as mazelas inerentes aos gazes e os traumas devido aos constantes bombardeamentos, encontrou em Portugal uma realidade que não era fácil.

Para melhor se perceber os receios que as pessoas tinham, relativamente a essas sequelas da Guerra, deixamos um episódio ilustrativo.

Enquanto o Joaquim estava na guerra, e como haviam morrido os dois filhos, a esposa, Amélia trabalhava como ama de uma criança de famílias mais abastadas. Porém, quando o marido regressou, a criança foi-lhe retirada, de imediato, não fosse ser contagiada por esses males que se diziam contagiosos.

O período da 1ª República foi muito conturbado e os filhos começaram a nascer.

Primeiro o António, em 8 de Setembro de 1920, depois o Carlos em 25 de Dezembro de 1922. Em 1924 nasce a primeira filha, a Laurinda e três anos mais tarde o Fernando, em 1927, já na vigência do Estado Novo. Em 1929, novo filho, o Álvaro. A 25 de Abril de 1931, nasce a Aurora e dois anos depois o Mário, em 1933 e, finalmente e Maria Emília em 1935. Ainda nasceu um décimo primeiro filho o Zé, que não consegui sobreviver a uma gravidez tardia e problemática da Amélia.

O tempo passava, os filhos cresceram e havia que garantir o seu futuro.

E, em Loriga, esse futuro, passava invariavelmente pela indústria de Lanifícios. O António trabalhava nos lanifícios, tal como o Fernando e, depois o Álvaro. O António e o Álvaro seguiram as pisadas do pai e tornaram-se encarregados das secções onde trabalhavam. Um na Ultimação e o outro na Tesoura.

 O Carlos, entretanto, tinha ingressado no Seminário e prosseguia os seus estudos.

A Maria Emília viria a trabalhar, também nos Lanifícios e a Aurora estudou Corte e Costura e foi durante muitos anos a Encarregada da Secção de Corte da Fábrica de Malhas Nunes & Abreu.

Mas...ainda não tinha acabado as fatalidades do “Ti Joaquim Faztudo”.

Por volta do final dos anos 30 foi vítima de um aparatoso acidente de trabalho.

As fábricas, nessa altura, eram movidas a força hidráulica motriz que punha em funcionamento um  engenho com rodas mandantes e mandadas, umas maiores e outras mais pequenas, ligadas por correias.

As uniões da correias eram feitas com grampos uma espécie de agrafos com tamanhos enormes consoante o tamanho das correias.

Ora, um dia ficou preso num desses grampos e a correia levou-o até ao tecto tendo depois caído com grande aparato. Foi levado para Coimbra, para o Hospital da Universidade, onde permaneceu durante bastante tempo em coma.

Nos 8 meses que permaneceu no hospital não recebeu visitas. É que ir a Coimbra, nessa altura era mais difícil do que ir ao Brasil nos dias que correm

Mas...ainda não tinha chegado a sua hora e sobreviveu a mais uma das muitas provações que a sua vida lhe reservara.

Porém... estava ainda guardada, mais uma fatalidade para este homem, que tudo soube aceitar com uma resignação de fazer inveja. O Mário, com 7 anos, morre num acidente com um camião, durante a sua estada no hospital.

Este homem ultrapassou mais esta provação, transmitindo a todos um exemplo de coragem, incentivando os filhos a serem melhores e a superarem-se a cada dia que passava.

 

Continua... 

Um bom exemplo

O Tó, filho do Tio Fernando, acaba de contribuir com um excelente "post" para o nosso Blog. Este é um bom exemplo de como poderemos enriquecer este espaço de partilha. 
Se cada um colocar aqui as fotos do seu "Album de Recordações" (e isso é muito fácil, basta que me enviem um endereço de Email para eu enviar o convite de colaboradores e ficam aptos a colocar o que entenderem), este espaço estará a cumprir a sua missão.
Obrigado Tó!

O Fernando e a esposa Helena

O Fernando e a esposa Helena
Os filhos do Fernando no casamento do Tó
Da Esq. para a Dta. O Zé Manuel, a Dulce, o Tó e a esposa, Madalena, a Isabel e a Lurdes

No baptizado da Vera, filha do Tó, com o Zé Manuel, o filho mais novo.


O Fernando com as netas Vera e Cristina, filha do Tó e da Maria de Lurdes




terça-feira, 14 de julho de 2009

Em Memória do Mário

Já haviamos falado dos filhos do avô que não sobreviveram.


Acontece que, no baú da Tia Aurora estava a Cédula Pessoal do Mário que aqui publicamos como curiosidade, precisamente no dia em que completaria 76 anos, caso fosse vivo.
Segundo este documento, Mario Florêncio Mendes Pinto, nasceu em 14 de Julho de 1933.


domingo, 7 de junho de 2009

Mais fotos antigas... Relíquias que são pérolas



As minhas sobrinhas Cristina e Margarida, andaram a revolver o baú da Tia Aurora e... o resultado foi muito proveitoso.
Calculo que alguns dos aqui retratados, nem imaginam que estas fotos existem... mas elas existem e aqui as partilhamos.


O Avô e a Avó, no quintal da casa do Vinhô.





A Isabel, a Amélia e a Maria do Carmo, filhas do António, na Sra. da Guia, nos anos 50.




O Avô e a avó com os filhos Álvaro e Fernando e as filhas Aurora, Laurinda e Maria Emília, no quintal da casa do Vinhô.

O Casamento do Carlos com Maria Lúcia, em 3 de Abril de 1955.



Baptizado da Cristina, a primeira filha do Carlos e da Maria Lúcia em 19-02-1956.